Isenção de Segurança Social para Recibos Verdes

Se é trabalhador independente e trabalha a recibos verdes, saiba que existem situações em que pode beneficiar da isenção para a segurança social. No entanto, é conveniente estar sempre muito atento. Em Portugal, os nosso políticos e governantes mudam as regras a toda a hora (sempre para receberem mais e mais em impostos e contribuições).

Isenções para a segurança social:

  • Primeiros doze meses de atividade
  • Rendimentos baixos
  • Contribuições por outros regimes
  • Pensionista
  • Cessação de atividade

1. Primeiros 12 meses de atividade

Todos os trabalhadores independentes que dão início de atividade pela primeira vez, têm direito a uma isenção de 12 meses nas contribuições para a segurança social. Esta isenção é direta, não é necessário realizar qualquer pedido e só se aplica uma única vez. Não é válida para quem tenha cessado atividade e posteriormente a tenha reaberta.

2. Rendimentos baixos

Sempre que o trabalhador independente aufira rendimentos baixos poderá beneficiar de isenção de contribuições para a segurança social. Esta isenção não é automática e terá que ser pedida pelo trabalhador.

Para ter direito à isenção, o trabalhador não pode auferir rendimentos superiores a 6 vexes o valor do indexante de apoios sociais (IAS).

3. Contribuições por outros regimes

Em Portugal, existem muitas situações de trabalhadores que trabalham por conta de outrem (com contrato de trabalho) e paralelamente desenvolvem algum tipo de atividade como profissional liberal (a recibos verdes). Nestas situações, o trabalhador poderá pedir isenção de contribuições para a segurança social pela parte do seu trabalho como independente.

Não é obrigado a descontar como independente porque já o faz como trabalhador por conta de outrem.

4. Pensionista

Os pensionistas tambem podem beneficiar da isenção de contribuições para a segurança social nos seguintes casos:

  • Quando o trabalhador for um pensionista por velhice e a atividade desenvolvida seja legalmente compatível com a pensão;
  • Quando se tratar de um pensionista por invalidez com uma incapacidade para o trabalho igual ou superior a 70%.

5. Cessação de atividade

Quando o trabalhador cessa a sua atividade como independente, fica automáticamente desobrigado de contribuir para a segurança social.

Após a cessação de atividade nas finanças, o trabalhador não necessita de se deslocar á Segurança Social visto esse processo ser automático.

 

 

Gostou? Deixe-nos a sua opinião

Quer receber mais conteúdos como este?

Registe-se AGORA e leia comodamente no seu email todos os nossos artigos

Faça crescer a sua empresa

Fatura Simplificada. Sabe o que é?

Com Decreto-Lei nº 197/2012, em vigor desde Janeiro de 2013, apareceu a fatura simplificada que veio substituir as antigas vendas…

Emissão de factura por empresário em nome individual

Qual a morada e indicar nas facturas passadas pelos empresários em nome individual? Já teve dúvidas sobre qual a morada…

Segurança Social: Acumulação de atividade independente com trabalhador por conta de outrem

Existem algumas isenções de contribuições para a segurança social de trabalhadores que exercem uma atividade independente (recibos verdes): Primeiros dozes…

Contrato de trabalho em Part Time. Sim ou Não?

Porquê o contrato de trabalho em tempo parcial? O regime de contratação a tempo parcial (Part Time) é um mecanismo…